CARNAVAL

Estranho como nós brasileiros temos uma memória extremamente flexível.

Sim, afinal, à partir de amanhã, o país suspende sua realidade enquanto nação, afim de participar da festa pagã. São milhares de cidadãos, de cristãos, envolvidos nesse momento, que já entrou para nossa história e calendário.

Para aqueles que não compactuam com esse momento, o que resta são os retiros, de toda forma, sejam eles de lazer, sejam eles espirituais.

Mas o que assusta, não é a predileção do brasileiro para a festa, para a diversão. Isso, é perfeitamente normal para qualquer ser humano.

O que não tem explicação, é o fato de que um país inteiro, para, efetivamente para em razão de uma festa pagã.

Vale observar, que a economia em sua realidade, não tem qualquer tipo de suspensão, em que pese o Brasil se colocar à mercê do rei momo durante esse período, o mundo continua seu navegar. O processo econômico financeiro que faz a roda girar, não emperra por 05(Cinco) dias. Pelo contrário, o mesmo tende a manter um ritmo incessante e eficaz, pelo que, os que não alcançam, mantém-se estagnados.

E mais, politicamente, esquece-se das questões relevantes, a reforma previdenciária, as eleições, a situação política em razão da lavajato, enfim, nossa memória realmente vai à cabo.

Com essa circunstância, que é apenas mais uma dentre os vários feriados que infestam nosso ano, conclui-se que realmente somos complexos.

Nos indignamos com a situação politico econômica que o país vive, mas não deixamos de apenas pensar em nosso momento.

Deve-se lembrar, que os grandes países, e não afirmo grandes em fronteiras, esses, se necessário empreendem guerras internas para resolver, solucionar seus impasses, demonstrando que, quem realmente determina os destinos, é o povo.

Outrossim, o que mais me deixa preocupado, é o fato da total falta de respeito e desvelo para as questões espirituais. Em que pese o Brasil ser um país sincrético, devemos entender que, em razão da realidade mantida pela vinda do Senhor Jesus, tudo e todos devem se voltar a esse fato.

Seria justo parar o país em razão de uma festa em homenagem ao Senhor Jesus, onde todos restariam a louvar e glorificar seu nome. Essa honra, além de abençoar-nos, com certeza seria a maior demonstração de amor, o qual seriamos capaz de efetivar.

Mas, como já se dizia no passado, o ser humano gosta de “Pão e Circo”, em detrimento do “Amor e Seriedade”.

Que seja um momento de reflexão…