SIM SIM, NÃO NÃO como princípio basilar de uma vida cristã.

Bem, continuando o pensamento desposado pelo meu amado Pr., no culto de domingo à noite e, que inclusive me incomodou deveras, passei a uma reflexão da palavra do Senhor.

Com isso, uma reviravolta ocorreu em meu coração e minha mente. Pregou ele sobre o significado da família, da comunhão dentro da Igreja, e que em realidade, nos dias de hoje, tem um significado ínfimo para o fiel.

Ora, tal situação ocorre em razão de vários elementos, dentre eles, o dia a dia a que somos mantidos, e que faz com que, coisas reais, as do espírito, sejam por nós, quase sempre ignoradas.

Nossa preocupação, realmente é com a presença na igreja. O estar nos cultos e reuniões, mesmo que, somente de corpo presente. Nos preocupamos com a casca, deixando o interior totalmente de lado.

Menciono isso, como resposta a mim mesmo. Quem não gosta de se ver presente? Quem não quer ser lembrado, citado, mencionado? Quem não quer que seus filhos sejam referencia? – Enfim, nós queremos. E nos esquecemos que, quem deve querer é o Senhor. Somos apenas mensageiros de sua vontade.

E nessa realidade, somos o corpo, somos um só.

Mas não, precisamos como seres humanos, ter nossas vontades satisfeitas. E isso é o que realmente fere a comunhão, fere à igreja, e com certeza, fere efetivamente o Espírito Santo.

Não podemos nos esquecer jamais do que Mateus disse, em 5:37. “Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna.”

Essa assertiva, tem importância tremenda nos dias que vivemos, já que para não deixarmos de agradar os outros, ficamos no meio termo, levando muitas vezes a um pecado extremo, qual seja o da desonestidade. Mas essa, não no sentido lato da palavra, mas em uma interpretação mais amena, em pequenas coisas. Nos utilizamos de situações mínimas, para sermos desonestos, e isso, é visto pelo Espirito Santo. A própria palavra assim observa: João 14.15 a seguinte e desafiadora declaração de Jesus: “Se vocês me amam, obedecerão aos meus mandamentos”; “Não retribuam a ninguém mal por mal. Procurem fazer o que é correto aos olhos de todos.” (Romanos: 12.17); “Pois estamos tendo o cuidado de fazer o que é correto, não apenas aos olhos do Senhor, mas também aos olhos dos homens.” (2 Coríntios: 8.21). “Não mintam uns aos outros, visto que vocês já se despiram do velho homem com suas práticas.” (Colossenses: 3.9)

Não é possível, que mesmo com uma palavra tão clara, continuemos a agir como se nada acontecesse. É fato, que furar uma fila, na hora de servir o almoço, isso com a anuência de um dos organizadores, é desonesto. Conseguir colocar o nome em uma lista que já se encerrou, também é desonesto. Insistir em participar de um grupo e/ou reunião, quando não se está autorizado por regras, é desonesto. São mentiras que ocorrem, não somente aos outros, mas para nós mesmos.

E são fatos que ocorrem, como exemplos, todos os dias fora da igreja, mas infelizmente, também dentro da igreja.

Como foi dito de forma maestral pelo Pr. Jesus, no domingo à noite. Precisamos deixar as coisas e pensamentos do mundo, devendo praticar a Palavra do Senhor em sua forma mais pura, para quem sabe assim, termos o privilégio de receber o Espírito Santo em sua plenitude.

Recebe-lo é um direito que nos foi dado pelo Senhor. Mas para isso, devemos merecer de todo o coração.

O grande problema, é o merecer.

E o princípio basilar, esta na própria palavra do Senhor. SIM SIM, NÃO NÃO. Não existe meio termo…

Que a Graça e a Paz do Senhor Jesus esteja conosco sempre…

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *